Onde beber um vinho tranquilo?

Stefan Zweig dizia que os livros são pequenos pedaços do incomensurável.

E Luis Buñuel (₁) considerava o Bar um lugar de meditação e recolhimento, sem o qual a vida é inconcebível. Embora não tomasse vinho no Bar, colocava-o em primeiro lugar entre as bebidas de que mais gostava, especialmente o tinto.

Acho difícil encontrar um Bar em São Paulo onde possamos desfrutar da sombra silenciosa do garçom respeitando o nosso recolhimento.

(1) Luis Buñuel. Realizador de cinema espanhol. (1900-1983) . Mon dernier soupir, 2006

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s