A criação do vinho

Fonte: Diego Rousseaux

Fonte: Diego Rousseaux

Leveduras selvagens são variedades que tendem a fermentar muito depressa, o que não é necessariamente ruim. Mas muitas vezes elas imprimem um sabor que os produtores fazem de tudo para evitar. São sensíves ao álcool e morrem assim que o teor alcoólico chega a quatro por cento. Mas o vinicultores querem eliminá-las de seus tonéis o mais rápido possível. Para tanto, adicionan ao mosto desde o início uma dose de anídrido sulfuroso, o inibidor universal de bactérias e leveduras do vinho. (Eis aí o “anídrido sulfuroso” da frase “contém anídrido sulfuroso” vista hoje em dia em todas as garrafas de vinho. Ele também é usado no engarrafamento para inibr a proliferação de bactérias, e é inofensivo, exceto para quem tem alergia à substância.)

Fonte: Os sentidos do vinho, Matt Kramer,2007

Anúncios

4 Respostas para “A criação do vinho

  1. Hola Ruben.

    Nos conosimos em La presentacion de La película El domingo, , pase por tu blog , bien interesante , me gusto.

    Diego

  2. Olá Rubén
    segue as fotos
    Eu vou conversar com a Jeanne sobre os assuntos que você levantou (mercado paulista e as degustações as cegas) e retorno para você o mais rápido possível
    Até breve
    Abraço
    Dorothée

  3. Olá Ruben!

    Tomamos a liberdade de te convidar para a degustação de vinhos uruguaios que teremos na casa, já que é a sua área e deve te interessar. Também, gostaríamos de saber a sua opinião (oportunamente, claro)!

    Luciana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s